Notícias

Conheça a história inspiradora de três mulheres que enfrentaram o câncer de mama!

Quando falamos em luta contra o câncer de mama, prevenção é palavra-chave! A cada ano, estima-se que mais de 66 mil novos casos da doença surjam no Brasil. Por isso, esta é uma causa que todos devem abraçar!

Na Bold, temos o exemplo de três colaboradores que acompanharam, de perto, mães e esposa enfrentando a doença. Graças ao diagnóstico precoce, elas tiveram excelentes resultados no tratamento e, hoje, vão contar suas histórias inspiradoras para nós.

Esposa do bolder Eduardo Krawulski, Neide dos Santos Krawulski, de 48 anos, descobriu que tinha câncer de mama após uma mamografia realizada na Rede Feminina de Jaraguá do Sul, no fim do ano passado. Com um estilo de vida saudável e sem casos anteriores na família, a confirmação da doença foi um choque. “No primeiro momento, você fica sem chão. Mas, depois, conversando com a família e recebendo o apoio de todos, consegui me fortalecer. Nesta luta diária, o suporte do marido e dos filhos é fundamental”, comenta.

Após o diagnóstico, Neide iniciou, imediatamente, as sessões de quimioterapia. O tamanho do nódulo diminuiu consideravelmente com o tratamento e, no mês que vem, ela passará por uma cirurgia para retirá-lo. “Agora, estou mais tranquila. Tenho acompanhamento psicológico também. A quimioterapia foi um processo difícil, tive algumas alterações hormonais e físicas, porém, não fiquei tão debilitada”, relata.

Em relação à queda do cabelo, Neide conta que se preparou mentalmente para essa hora. “Decidi raspar de uma vez só porque percebi que não precisamos esconder a doença ou ter preconceito com isso. Inclusive, faço questão de sair sem o lenço às vezes”, destaca.

Ainda em tratamento, Neide reforça a importância das mulheres se cuidarem e fazer os exames preventivos. “Eu, antes de descobrir o nódulo, já participava das ações da Rede Feminina e, por saber como é essencial se prevenir, tive um diagnóstico precoce. O câncer não é o fim da vida, podemos vencê-lo e continuar aqui, com quem nos ama”, observa.

Aunerice de Moraes, de 60 anos e mãe da bolder Lilian Souza, precisou enfrentar a doença duas vezes, uma em 2006 e outra em 2009. “Eu estava sentindo muita tontura e falta de ar e também tinha íngua embaixo do braço. Pensei que fosse algo passageiro, não sabia muito sobre câncer naquela época. Até que fui à ginecologista e ela logo me encaminhou para fazer uma mamografia”, recorda.

Na biópsia, foi confirmada a presença de dois nódulos. “Quando passei pela cirurgia, pouco tempo depois, os médicos retiraram, no total, nove nódulos”, comenta. Aurenice seguiu com o tratamento corretamente, mas, em 2009, o câncer retornou ainda mais agressivo. Desta vez, para aumentar as chances de cura, ela realizou a retirada da mama. “Sofri muito nessa luta contra a doença e, para vencer, eu me apeguei à minha família, minhas netinhas e filhos. Encarei essa batalha por mim e por eles. Não podemos nos entregar!”, aponta.

Atualmente, Aurenice faz um acompanhamento médico anual, passando por uma série de exames para verificar se está tudo bem. “Neste mês especial, a mensagem que quero deixar para as mulheres é para elas buscarem informações sobre a doença, conhecer melhor o seu corpo, fazer os exames periódicos e se manter calmas, caso descubram a doença. Encarar o câncer foi difícil, mas estou aqui, cheia de vida e alegria”, enfatiza.

Dona Sônia Maria Milani, de 72 anos, é mãe do bolder Fabiano Milani e mais um exemplo de superação. Ela recebeu o diagnóstico da doença em outubro do ano passado e, no mês seguinte, começou a quimioterapia. Sônia também já realizou a cirurgia de retirada de parte do seio e, agora, segue o tratamento com medicações. “Quando você recebe a notícia, seu mundo desaba. Por isso, a família é tão importante ao longo de todo o processo. Fazer os exames preventivos também é essencial. Eu, por exemplo, consegui detectar o nódulo quando ele ainda estava em formação, em uma consulta com o mastologista”, explica.

Com essas histórias de mulheres fortes, guerreiras e inspiradoras, que pedimos, em especial, às nossas bolders: cuidem-se! Prevenir é o maior ato de amor que podemos ter por nós e por aqueles que valorizam a nossa vida!

Matéria publicada em 25/10/2021.

Orçamento

    Nome
    E-mail
    Telefone
    País
    Estado
    Cidade
    Tipo de Compra
    Como nos conheceu?
    Produto
    Cor
    Quantidade
    Deseja anexar algum material?

    Mensagem